Imprimir

Marechal José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque

Escrito por Leandro Sicorra Wilemberg Published on .

 


(1885 – 1959)

 

José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque nasceu em 12 de setembro de 1885, no município de Cabaceiras-PB. Ingressou no Exército como aluno da Escola Prática do Realengo em 1903. Militar de conduta ilibada, desde o início da carreira destacou-se pela energia realizadora que possuía. Estando realizando curso junto ao Exército Francês, quando da eclosão da 1ª Guerra Mundial, é voluntário para comandar frações de Cavalaria durante o conflito. Nessa ocasião, absorveu inovações doutrinárias e participou dos primeiros empregos dos carros de assalto Renault e Whippet. De volta ao Brasil, empenhou-se em convencer seus chefes militares da necessidade do Brasil entrar na era dos blindados. Escreveu o livro “Os Tanks na Guerra Européia”, marco da doutrina blindada brasileira. Foi designado comandante da primeira unidade blindada de nosso Exército, a Companhia de Carros de Assalto. Assumiu o comando da Escola Militar do Realengo em 1931, tendo papel fundamental na sua reestruturação e transferência para Resende-RJ. Implementou profundas mudanças na Escola, como a revitalização do título de Cadete e a criação do Espadim. Faleceu a 16 de agosto de 1959. Em sua homenagem, o 12º R C Mec (Jaguarão – RS) recebeu a designação histórica de Regimento José Pessoa.
Publicado no Noticiário do Exército (Brasília - DF - Ano XXXII - Nº 189 – Jul / Ago / Set 2006).

Marechal José Pessoa Cavalcante de Albuquerque idealizou a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e trabalhou incansavelmente por sua construção e para que ela adotasse essa denominação.

Nasceu em Cabaceiras (PB), em 12 de setembro de 1885. Foi aluno da Escola de Guerra de Porto Alegre (RS) de 1906 a 1909, quando foi declarado Alferes de Infantaria e de Cavalaria. Serviu em Unidades do Rio de Janeiro, da então Paraíba do Norte e de Salvador, onde foi instrutor militar na Faculdade de Medicina da Bahia e teve a oportunidade de combater o cangaço.

Em 1914, já transferido definitivamente para a Arma de Cavalaria, viu eclodir a Primeira Guerra Mundial. Em 1918, como 1º Tenente, realizou estágio na Escola Militar de Saint-Cyr e combateu no 4º Regimento de Dragões do exército francês, quando foi promovido ao posto de Capitão por bravura. Após a Guerra, realizou um curso na Escola de Carros de Versailles e escreveu o livro“O Tanque na Guerra Européia” (“tanque” é como eram chamados os carros de combate). Foi o organizador e primeiro comandante da 1ª Companhia de Carros de Assalto do Exército Brasileiro.

Serviu na Escola Militar do Realengo como Fiscal Administrativo nos anos de 1923 e 1924 e, logo depois, comandou o 1º Regimento de Cavalaria Divisionário. Quando irrompeu a Revolução de 1930, foi designado para comandar o 3º Regimento de Infantaria. De 1931 a 1934 comandou a Escola Militar do Realengo, implementando melhora considerável na formação do Oficial do Exército Brasileiro, que passou a ser embasada na educação física, na cultura geral científica e na preparação profissional rigorosa. Durante esse comando, idealizou a Academia Militar das Agulhas Negras, restabeleceu o título de Cadete, criou o Corpo de Cadetes, com estandarte e brasão próprios, e modificou regulamentos e uniformes.

A mudança da sede da Escola Militar para longe da então Capital Federal era fundamental para o Coronel José Pessoa. Depois de muita procura, a cidade de Resende (RJ) foi escolhida para abrigar a Instituição. No entanto, diversos problemas políticos e econômicos impediram a sua construção naquele momento histórico. Apenas em 1938 a cidade foi confirmada para receber a nova Escola Militar. O então General-de-Brigada, que desde 1934, comandava o 1º Distrito de Artilharia de Costa e fundara o Centro de Instrução de Artilharia de Costa (atual Escola de Artilharia de Costa e Antiaérea), via seu sonho começar a se concretizar.

José Pessoa ainda serviu como Adido Militar na Inglaterra. Sua última comissão na ativa, recebida em 1948, foi a de comandante da Zona Militar do Sul.

Em 1949, deixou o serviço ativo. No ano de 1951, viu um dos seus maiores desejos realizado, quando a Escola Militar de Resende passou a chamar-se Academia Militar das Agulhas Negras.

Em 1955, a pedido do Presidente Café Filho, assumiu a presidência da Comissão de Planejamento e Localização da nova Capital Federal, desincumbindo-se com esmero de mais essa missão. Faleceu em 16 de agosto de 1959, após uma vida muito profícua.

O Marechal José Pessoa foi um militar além do seu tempo. Figura de estadista que idealizou a Academia Militar com a finalidade de entregar, ao Exército e ao Brasil, jovens oficiais bem preparados física, intelectual e moralmente. Seus ideais estão hoje personificados na honra e disciplina dos Cadetes da AMAN e cristalizados na mentalidade e nas atitudes dos integrantes da Força Terrestre.