Cavalaria Grega

Na Grécia, o famoso historiador Xenofonte , nos legou diversos e interessantes tratados sobre cavalos, permitindo-nos conhecer detalhes da utilização deste animal naqueles tempos remotos.
Se acredita que os gregos obtiveram conhecimentos sobre os cavalos através dos egípcios, e por esse motivo copiaram seus carros de guerra. Os habitantes da Grécia setentrional, os tesalianos, empregaram uma Cavalaria rudimentar que, sem dúvida, chegou a infligir uma derrota à uma unidade hoplita espartana, considerada como caso único de uma vitória de força de Cavalaria naquela época.

Os gregos não tiveram Cavalaria nas batalhas de Maratona e Termópilas. Nesta última, os persas empregaram cerca de 80.000 cavaleiros sob as ordens de Xerxes. Durante a Guerra do Peloponeso ( 430 AC ) foi empregada a Cavalaria, primeiro em número reduzido e, após verificado os resultados positivos de seu emprego, seu número aumentou progressivamente. Foi famoso como chefe de cavalaria o tebano Pelópidas.
Os helênicos tiveram três tipos de Cavalaria em seus exércitos :os catafratas ou Cavalaria Pesada, os gregos ou Cavalaria semi-pesada e os tarentinos ou Cavalaria Ligeira.
Os catafratas eram assim chamados porque tanto combatentes como cavalos usavam uma pesada armadura. Suas armas eram a lança e a espada.
Os gregos usavam uma armadura mais leve que a dos catafratas e também eram armados com lança e espada, mas seus cavalos não eram protegidos por armaduras. Suas unidades eram organizadas da mesma forma que a dos catafratas.
Alguns historiadores nos relatam que o general tebano Epaminondas empregou na batalha de Leuctra ( 371 AC ), uma unidade de Cavalaria com 500 Cavaleiros.
Anos mais tarde, Alexandre formou o exército mais soberbamente organizado, equipado e adestrado que jamais houvera na Grécia. Na batalha de Arbelas, contou com uma força de Cavalaria de 7.000 cavaleiros, a cuja intervenção, deveu-se o triunfo na batalha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *